História

Planaltina – GO

As primeiras penetrações na região de Planaltina foram feitas por Bandeirantes Paulistas a procura de ouro. Tornou-se Distrito pela Lei nº 3, de 19/08/1859, pertencente ao Município de Formosa. Em virtude do Decreto nº 11 e da Lei Provincial nº 354, de 01/08/63, passou a pertencer ao Município de Santa Luzia (atual Luziânia) sendo mais tarde incorporando ao de Formosa. Tornou-se município pelo Decreto nº 52, de 19/03/1891, desmembrando-se de Formosa.

A comarca de Planaltina foi criada pelo art. 8º do ato das Disposições Transitórias, com o termo da Comarca de Formosa. Pelo Decreto 480, de 30/04/1955 parte de seu território foi declarado de utilidade pública e conveniência ao interesse social a área destinada a localização da nova capital do Brasil.
Em 14/05/1955 pela Lei Estadual 1.071 foi efetivada a desapropriação prevista pelo Decreto 480, de 03/04/1955 ficando o Poder Executivo autorizado a efetivar, a desapropriação dos bens compreendidos dentro do perímetro estabelecido no art. 1º do Decreto 480, inclusive aqueles de domínio municipal, considerados necessários a execução do planejamento da Nova Capital da República.

Em 18/12/1958 pela Lei Estadual nº 2.931, de 07/06/1960, a sede da Comarca de Planaltina foi transferida, provisoriamente, para a Vila de São Gabriel de Goiás, situada no Município de Planaltina elevada a categoria de Cidade. Ficaram, igualmente transferida para a cidade de São Gabriel a Coletoria Estadual, a Promotoria de Justiça, o Grupo Escolar da antiga sede do Município de Planaltina, a Delegacia de Polícia, todos os seus destacamento, a cadeia Pública, e os demais serviços Estaduais localizados na área incorporados ao novo Distrito Federal.

Em 26/10/1965 pela Lei Estadual 5.988, o atual Município de Planaltina passou a denominar-se São Gabriel de Goiás, tendo como sede definitiva a cidade do mesmo nome, passando igualmente a ser denominada Comarca de São Gabriel de Goiás a atual comarca de Planaltina.

Em 17/02/67 pela Lei Estadual 6.553 o Município de São Gabriel de Goiás volta denominar-se Planaltina, tendo como sede definitiva a Fazenda Brasília, escolhida pela Lei Municipal nº 55 de 31/12/60, passando igualmente a denominar-se definitivamente Comarca de Planaltina, fincando os poderes Executivo e Judiciário, bem como a Municipalidade de Planaltina obrigados a providenciar de imediato as mudanças necessárias.

Em 07/11/1967 o Prefeito Eloy Pinto de Araújo, cumprindo a lei 6.553, transferiu provisoriamente a sede do Município para a Fazenda Brasília à margem do Córrego Paina, permanecendo neste local por mais ou menos três anos. Em 1970, o Prefeito Municipal Eloy Pinto de Araújo, juntamente com o Juiz da Comarca, transferiu definitivamente a sede do Município de Planaltina para o local onde hoje se encontra instalado atualmente com todos os poderes constituídos.

 

Vale ressaltar, que o Município de Planaltina cedeu ao Distrito Federal parte de seu território e sua sede estruturada, não tendo no entanto recebido do Governo Federal ou Estadual qualquer indenização dos bens cedidos para a formação da Capital Federal, sacrificando intensivamente o Município desde então, até os dias atuais, pois vem sofrendo problemas graves em sua estrutura principalmente na esfera social.
O Município é servido por rodovias federais e pelas Goiás 230 e 118. É grande produtor leiteiro, destacando-se como um dos maiores fornecedores do Distrito Federal. Planaltina, que dispõe de moinho de calcário e reservas de manganês e ametista, também é grande produtor de soja, arroz milho e feijão.
Planaltina dista 265 quilômetros de Goiânia e 55 de Brasília.

Prefeitos da cidade de Planaltina, Estado de Goiás, no período de 1960 a 2004.

Nome Período/mandato

  • 01 – Osvaldo Vaz 31/01/1959 a 09/02/1963
    02 – Francisco Muniz Pignata 10/02/1963 a 11/02/1965
    03 – Bernardo Ferreira Bispo 12/02/1965 a 30/01/1966
    04 – Eloy Pinto de Araújo 31/01/1966 a 30/01/1970
    05 – Messias de Souza 31/01/1970 a 16/06/1972
    06 – Jurandir Camilo Boaventura 17/06/1972 a 30/01/1973
    07 – Joaquim Gonçalves Sobrinho 31/01/1973 a 30/01/1977
    08 – Benedito Monteiro Guimarães 31/01/1977 a 31/12/1980
    09 – Lenir de Sousa e Silva 01/01/1981 a 30/01/1983
    10 – Edenval Vaz 31/01/1983 a 15/04/1986
    11 – Adhemar Alves Borges 16/04/1986 a 31/12/1988
    12 – Lenir de Sousa e Silva 01/01/1989 a 31/12/1992
    13 – José Olinto Neto 01/01/1993 a 07/07/1994
    14 – Moacir Paiva Pontes 08/07/1994 a 06/08/1994
    15 – José Olinto Neto 07/08/1994 a 07/05/1996
    16 – Edenval Vaz 08/05/1996 a 29/10/1996
    17 – José Olinto Neto 30/10/1996 a 31/12/1996
    18 – Dirceu Ferreira de Araújo 01/01/1997 a 31/12/2000
    19 – Ronaldo Portilho da Silva 01/08/2001 a 30/11/2001
    19 – Dirceu Ferreira de Araújo 01/01/2001 a 31/12/2004
    20 – Alexon Luiz Félix Santos 01/01/2005 a 31/12/2008
    21 – José Olinto Neto
    22- José Olinto Neto
    23 – Eles Reis de Freitas
    24 – David Alves Teixeira
    25 – André Alves Magalhães
    26 – Hernandes Morais Ferreira
    27 – Eles Reis de Feitas
  • 28 – João Gonçalves de Lima Neto
  • 29 – Maria Aparecida dos Santos
  • 30 – Cristiomário de Sousa Medeiros
  • PLANALTINA-GO
  • ASPECTOS FÍSICOS:
    Área: 2.547,7 Km2
    Lei de criação: Dec. 52 de 19/03/1891
    Microrregião: 012 – Entorno de Brasília
    Município Limítrofes: Água Fria de Goiás, Distrito Federal, Formosa, Mimoso de Goiás e Padre Bernardo.
  • ASPECTOS NATURAIS:
    Ocorrências Minerais: Calcário, Cobre e Dolomita.
  • ASPECTOS DEMOGRÁFICOS
    População: 81.649
    Número de Eleitores: (Dez/2000) –
    Densidade demográfica: (1996) 22,99 hab/Km2
    Taxa Geom. De Crescimento Anual (1991/1996): 7,82%
    Renda Per capta por Habitantes: + – um a dois salários mínimos
  • LIMITES DE PLANALTINA-GO:
    Ao Norte : Água Fria.
    A Leste: Formosa.
    Ao Sul: Distrito Federal.
    A Oeste: Padre Bernardo.
  • Vegetação Predominante: Cerrado, há formação de pequenas florestas. Tipos: mangazeiros, piquizeiro, arnica.
    Clima Predominante: clima tropical, com duas estações bens definidas, uma chuvosa de outubro a março, cerca de abril a setembro.
    Principal Rio de Planaltina: Maranhão.
    Produto Agrícola Produzido: Arroz.
    Mineral Encontrado Aqui: Manganês.
    Forma mais comum de relevo: Serras.
    Animal de pequeno porte encontrado por aqui: Veado.
    Lagoa que serve de atração turística: Lagoa Formosa, com área lacustre de 18 Km de extenção por aproximadamente 1.000 Mt. de largura e à 06 Km da Sede da cidade.
    Principal meio de sobrevivência da população Planaltinense: Agricultura.
  • Em Planaltina-GO, há Sete indústrias, são elas:
  • Basuco Produtos Cítricos LTDA.
    Britacal Ind. com Brita Calcário.
    Água Sanitária Q’boa.
    Indústria Cerâmica Moreira LTDA.
    Mercaplan Industrial LTDA.
    Mineração Mozondó.
    Leite Sandy.
  • PREFEITURA MUNICIPAL DE PLANALTINA-GO.
    Fone: 3637-1273
    E-mail da Prefeitura: www.planaltina.go.gov.br
    É necessário Interurbano: Sim
    Endereço: Praça Jurandir Camilo Boaventura S/Nº – Centro
    Cep: 73750-000
    Fone/Fax: (0xx61) 637-1273
    Existe Biblioteca Pública no Município: Sim
    Existem 02 hospitais, sendo: 01 Hospital Municipal e 01 Particular, 10 Unidades de Saúde, uma Odontoclínica Municipal;
    Agências Bancárias: 02 – Banco Itaú e Banco do Brasil;
    Número de habitantes estimados em 2.000 – 83.100 hab.
    Densidade Demográfica: 1996 – 22,96 Hab/Km
    Área: 2.547,7 Km2
    Lei de Criação: Dec. 52 de 19/03/1891
    Microrregião: 012 – Entorno de Brasília
    Município limítrofes: Água Fria de Goiás, Distrito Federal, Formosa, Mimoso de Goiás e Padre Bernardo;
    Ocorrências Minerais: Calcário, Cobre e Dolomita

  • Distância de BSB: 55 KM
    Distância de Goiânia: 265 KM

Formação administrativa

Distrito criado com a denominação de Mestre D’Armas pela Lei ou Resolução Provincial n.º 615, de 02-04-1880, no município de Formosa. Elevado à categoria de vila com a denominação de Mestre D’Armas, por Decreto Estadual n.º 52, de 19-03-1891, sendo desmembrado de Formosa. Sede na povoação de Mestre D’Armas. Constituído do distrito sede. Instalado em 28-02-1892.

Pela Lei n.º 363, de 22-07-1910, o município de Mestre D’Armas passou a denominar-se Altamir. Em divisão administrativa referente ao ano de 1911 o município já denominado Altamir é constituído do distrito sede.

Pela Lei Estadual n.º 541, de 14-06-1917, o município de Altamir passou a denominar-se Planaltina. Em divisão referente ao ano de 1933 o município de Planaltina é constituído do distrito sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1950.

Pela Lei Municipal n.º 113, de 05-12-1958, foram criados os distritos de Córrego Rico e São Gabriel, ambos ex-povoados, e anexados ao município de Planaltina. Em divisão territorial datada de 1-VII-1960 o município é constituído de 3 distritos: Planaltina, Córrego Rico e São Gabriel de Goiás.

Pela Lei Estadual n.º 5.988, de 06-10-1965, o município de Planaltina passou a denominar-se São Gabriel de Goiás.

Pela Lei Estadual n.º 6.553, de 17-02-1967, o município voltou a denominar-se Planaltina.

Em divisão territorial datada de 1-I-1979 o município é constituído de 3 distritos: Planaltina, Córrego Rico e São Gabriel de Goiás. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2014.

Economia

A economia é baseada em agricultura (9,000 hectares em 2006), milho, mandioca e frutas cítricas), criação de gado (62,000 cabeças em 2006), serviços, administração pública (1,328 trabalhadores em 2003), e pequenas indústrias. Em 2017 existem 5 instituições financeiras instaladas na cidade (Banco do Brasil, Caixa, Bradesco, Itaú e BRB). O município de Planaltina, ocupa a posição de 3571º no ranking nacional de PIB per capita, e a posição 246º no estado de Goiás. O salário médio mensal no município é de 2,4 salários mínimos (2015). Porcentual da população com rendimento nominal mensal per capita de até 1/2 salário mínimo é de 36,5%. (2010)

Turismo

  • A Lagoa Formosa, (formadora do Rio Maranhão) com seus vários clubes, balneários e hotéis, que atraem visitantes das cidades da região.
  • A Rampa de Voo Livre do Vale do Paranã, entre Planaltina e Formosa que é considerada por praticantes do esporte como a melhor rampa de voo livre do país. Compreende voos entre a rampa e a Esplanada dos Ministérios em Brasília, distante 80 km.